VIROU VÍCIO

Rodrigo gosta de dormir se enroscando na gente. Se estiver no colo então, dorme rápido e super gostoso.

Ele está cada dia mais comprido e fica até estranho ver um meninão daquele tamanho deitado no colinho da mãe.

Mas o fato é que primeiro, eu tenho preguiça. Preguiça de fazer essa transição. Fazer ele dormir sozinho na cama implica em aguentar reclamação, chorinho, ficar sentada no quarto esperando dormir, depois ir saindo  aos poucos. Enfim, é trabalhoso. Num momento em que estou cansada depois de um dia cheio e confrontada a uma situação em que em menos de um minuto ele estará dormindo, será colocado na cama e dormirá quieto e bem por lá o resto da noite. Acabo capitulando.

Segundo, tem todo um cafuné que é delicioso. Ele abraça, dá mil beijos de boa noite, se enrosca, sorri, suspira ao dormir. Difícil não ficar viciada nesse carinho. Ainda mais quando coloco em perspectiva! Ele não vai dormir no colinho da mamãe quando tiver 15, 18, 20 anos. E já está com quase sete! Melhor aproveitar esse tempinho que me resta como morfeu do meu pequeno (já nem tão pequeno assim).

Com isso vou protelando a situação e mantendo meu vício. Ontem me peguei inclusive sentindo o bafinho da respiração dele e embriagada com o cheirinho de filho. Acho que vou ficar enroladinha nesse abraço enquanto puder...