ASSIM FICA DIFÍCIL

Rodrigo perdeu um dente de baixo. Perdeu não, eu dei um puxão, não saiu da hora, mas amoleceu o suficiente para cair na escola no dia seguinte. Eu sou a "tiradentes" oficial lá de casa. Adoro arrancar um dente mole. Tenho toda uma técnica desenvolvida na família e aplicada em mim quando criança. Um cotonete embebido em uísque faz às vezes de anestesia local (dizem inclusive que eles gostam que eu arranque só por conta do uísque. Eu adorava aquela sensação de dormência quando era pequena), um lencinho de papel ajuda a mão a não escorregar, um puxãozinho e pronto.

Dente caído na mão, é hora de chamar a fada do dente. Mas como fazer quando a criança esquece de avisar os pais que deixou o dente pra fada embaixo do travesseiro?

Pois é, Rodrigo deixou o dente no domingo para a fada do dente e esqueceu de avisar os adultos da casa.

Conclusão: menino chateado logo na segunda de manhã, porque a fada não quis saber do dente dele.

Resposta pronta do pai criativo: - Então filho, é que a fada do dente folga aos domingos. Deve ter sido isso. Deixe o dente hoje novamente, que você vai ver que ela aparecerá.

Assim que entrou no carro, quando fui buscá-lo na escola, ele me contou que a fada não tinha pego o dente dele porque era domingo e era o dia de folga dela. Que ele ia deixar o dente hoje de novo para a fada, que ele achava que na segunda ela trabalhava.

Dito e feito. A fada foi trabalhar na segunda-feira e deixou o dinheirinho direitinho embaixo do travesseiro.